Confira!


"Quatro anos depois de tudo ter começado, restaram poucos sobreviventes, incluindo Malorie e seus dois filhos pequenos. Morando numa casa abandonada próxima ao rio, ela sonha há tempos em fugir para um local onde sua família possa ficar em segurança. Mas a jornada que têm pela frente será assustadora: 32 quilômetros rio abaixo em um barco a remo, vendados, contando apenas com a inteligência de Malorie e os ouvidos treinados das crianças. Uma decisão errada e eles morrem. E ainda há alguma coisa os seguindo. Será que é um homem, um animal ou uma criatura desconhecida?"







Autor: Josh Malerman
Gênero: terror
Número de páginas: 272
Local e data de publicação: Rio de Janeiro, 2015
Tradução: Carolina Selvatici
Editora: Intrínseca

Fugindo de um perigo invisível


Quatro anos atrás, Malorie era uma garota comum, que há pouco tempo se mudara para Detroit com sua irmã, e que acabara de descobrir que estava grávida. Hoje em dia, ela vive sozinha com seus dois filhos, Garoto e Menina, numa casa arruinada e isolada, em meio a uma cidade fantasma, e acredita que já não existem sobreviventes por perto. O mundo que conhecemos foi devastado por uma espécie de síndrome, algo que faz com pessoas adquiram um comportamento violento, matando quem encontram por perto e também a si mesmas. E não estamos falando de um vírus ou doença mortal. Estamos falando de algo que as vítimas simplesmente viram, - e ninguém nunca sobreviveu para poder dizer aos outros o que era.
As notícias se espalharam rapidamente pela internet, televisão, rádio e jornais, e as pessoas pararam de trabalhar e passaram a estocar comida em casa e se trancaram dentro de casa, tapando as janelas da forma que podiam. No novo mundo, já não é seguro sair de olhos abertos. Em qualquer lugar pode haver uma ameaça, e mesmo ir ao quintal pode ser terrivelmente perigoso. Dessa forma, Malorie precisou de quatro anos para se recuperar do que aconteceu, e para reunir forças para viajar em direção a um local onde poderá viver em segurança. Enquanto isso, treinava os filhos para que fossem capazes de ouvir muito melhor do qualquer pessoa normal.
Quando comprei este livro de presente para o meu namorado, eu já estava curiosa sobre a tal ameaça que não se pode ver. Conforme ele ia lendo e fazendo comentários sobre o quanto estava impressionado e também sobre o quando queria avançar cada vez mais na leitura, a minha própria vontade de lê-lo também aumentou. Então, assim que pude, peguei emprestado, e o devorei em apenas dois dias. Minha vontade de descobrir - o que exatamente houve há quatro anos, como Malorie "treinou" os ouvidos dos filhos, como se adaptou a andar vendada, o que eram as criaturas que cercavam a casa, e se ela e os filhos sobreviveriam no final - era tão grande que eu não conseguia parar de ler.
Com capítulos que alternam entre presente e passado, Josh Malerman nos introduz em um mundo perigoso, onde já não seria possível dar uma infância normal a duas crianças. Malorie se questiona várias vezes se está sendo uma boa mãe. Entretanto, ela sabe que tudo o que tem feito desde Garoto e Menina nasceram é para garantir sua sobrevivência e também a deles.

"Quão longe uma pessoa consegue ouvir?
Remar vendada é ainda mais difícil do Malorie havia imaginado.
Já aconteceu de muitas vezes o barco bater nas margens e ficar preso por vários minutos.
Durante esse tempo, ela foi tomada por imagens
de mãos invisíveis tirando as vendas dos olhos das crianças."
Capítulo três,  página 22.

Nesta narrativa de um mundo pós-apocalíptico, descobrimos que o mais importante de tudo é uma coisa com a qual a espécie humana já não está acostumada há muito tempo: sobreviver. E para isso, outra coisa é fundamental: trabalho em equipe. As pessoas que conseguiram se manter vivas e sãs devem se juntar, pensar juntas, trabalhar em conjunto. Só assim podem permanecer vivos.
Em Caixa de Pássaros, cada capítulo traz uma nova revelação ou explicação importante. E, o melhor de tudo, a cada momento o perigo se faz presente, aquele perigo implacável e inflexível, que assusta porque não sabemos e nem podemos saber o que é. Já dizia aquela famosa frase que "o ser humano teme aquilo que desconhece", e esse provavelmente é o fator mais marcante de toda a trajetória dos personagens: o medo de algo que não sabe o que é, porque não se pode ver, e cujas capacidades ninguém pode conhecer ou estudar.
Dessa forma, a tensão é crescente a cada página, e o leitor se vê confrontado pela curiosidade, pela impotência, pela angústia, pela desconfiança e pelo mistério que se desenrola aos poucos, sempre interrompido pelo fim de um capítulo - ocasião em que a intercalação entre presente e passado sempre deixa as respostas para o capítulo que virá depois do próximo.
Há muito tempo eu não lia um livro assim, sem conseguir parar, terminando em apenas dois dias, quase "devorando". Caixa de Pássaros me instigou do início ao fim, e me amedrontou a cada nova situação de perigo. Tenho certeza de que todo leitor também poderá se interessar pela história com a mesma intensidade, e provar dos mesmos arrepios de medo!

Aspecto positivo: narrativa rápida e fácil; muita tensão durante toda a história; enredo inovador; caracterização de mundo pós-apocalíptico convincente e assustadora.
Aspecto negativo: final não muito surpreendente; ausência de algumas explicações importantes.

Por: Lethycia Dias

4 Comentários

  1. Adorei a resenha, adoro este tipo de livro, uma pena que o final não tenha sido tão surpreendente, ele parece ser uma livro que tem tudo para ser ótimo, fiquei bem interessada em lê-lo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu soube desse livro quando estive na 4ª Turnê da Editora Intrínseca, e pela forma que ele foi apresentado, parecia impressionante! Durante a maior parte da história, é muito bom mesmo, e eu adorei. Só o final que não surpreendeu muito mesmo.
      Mas leia sim! Você pode acabar gostando também.

      Excluir
  2. Oi, Lethycia! Sou o Daniel do facebook ^_^
    Amo leituras desse tipo de suspense que também envolve sobrevivência. Que pena que você não gostou do final, espero que suas próximas leituras sejam ótimas \o/

    Abraço.
    bookdan.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Daniel! Foi minha primeira experiência com esse tipo de livro. Mas, quanto ao conteúdo geral, eu gostei mesmo, foi só o final que não achei tão legal assim.
      Creio que já andei visitando seu blog, talvez tenha até comentado algum post antigo.
      Obrigada pela visita, e boas leituras pra você também!

      Abraços! '-'

      Excluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Entre em contato conosco!

Nome

E-mail *

Mensagem *

Veja quem me segue:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...